Projeto DOC apresenta seis documentários em Ribeirão

O evento é gratuito e acontece na próxima quarta-feira, 28, às 19h, com classificação livre. Temas dos documentários deste ano são atuais e comoventes

            O Projeto DOC completa 10 anos em 2017 e tem a apresentação especial de seis documentários produzidos pelos alunos do curso de Jornalismo da Unaerp. A mostra acontece no CineClube Caium, na próxima quarta, 28, às 19h. A entrada é gratuita e aberta a toda a população. Ancestrais, O Amor tem Gênero?, Praçempre, Quadro a Quadro, Raízes, e Vivendo Positivo são os documentários da mostra deste ano.

O Projeto DOC é uma produção já premiada nacionalmente no Fest Aruanda.  Em 2014, o prêmio foi para o documentário “O Pedro”; em 2015 foi a vez do “Baque Chamou”; e em 2016, o documentário “Marca-dos”. O Fest Aruanda, realizado em João Pessoa, Paraíba, é um dos principais festivais de produção de TVs Universitárias do país.

A produção dos documentários na Unaerp é uma atividade da disciplina Telejornalismo, em parceria com a TV Unaerp. Os alunos do sétimo semestre do curso definem temas, realizam pesquisas, entrevistas e fazem toda a produção dos docs apresentados anualmente no final do mês de junho.

Na edição especial deste ano, a Universidade estabeleceu uma parceria com o CineClube Cauim, que tem sua sede e sala de exibição no antigo Cine Bristol, no centro de Ribeirão Preto, a mais tradicional sala de cinema da cidade. O Cauim também é um projeto reconhecido, em atividade desde 1979. A sala do CineClube vai receber o público para a exibição dos documentários às 19 horas.

“No ano de comemoração de 10 anos do projeto, seis documentários foram realizados e, pela primeira vez, apresentaremos os nossos trabalhos no CineClube Caium. Estou muito feliz com a grande repercussão que atingimos esse ano, com a escolha do local, e claro, com esses 10 anos em que estive à frente de um projeto tão bacana”, conta a professora e orientadora da TV Unaerp, Flávia Martelli.

A coordenação do curso de Jornalismo também comemora. “Os documentários exibidos só nos trazem alegrias. Além dos prêmios, com certeza formamos profissionais com sólida bagagem social e cultural”, afirma o coordenador Gil Santiago.
Sinopses dos documentários que serão exibidos:

 

ANCESTRAIS
Hortência, Maria e Glória, três mulheres que encontraram na espiritualidade ancestral formas de se expressar. Na jornada para ajudar quem as procura, elas resgatam crenças pagãs e sabedorias populares. O documentário retrata três histórias e mostra como cada uma dessas mulheres mantém vivas práticas do passado.

O AMOR TEM GÊNERO?
Tudo é um ponto de vista. Ainda mais quando se trata de amor. As emoções, sensações e sentimentos percorrem nosso corpo e mente sem muita lógica, buscando apenas a satisfação de estar com quem se ama. “O amor tem gênero?” retrata histórias sinceras e intensas de pessoas que amam sem rótulos. O documentário mostra que o amor pode ser transformador.

PRAÇEMPRE
Desafios, fofocas, músicas, companheirismo. “Praçempre” apresenta relatos de pessoas que frequentam diariamente a Praça XV de Novembro, uma das mais antigas de Ribeirão Preto, no interior paulista. Diante de milhares de vidas que passam ali, existem diversas histórias desconhecidas e impactantes, que transformam a praça em uma área de lazer.

QUADRO A QUADRO
Poucos sabem que Ribeirão Preto, cidade do interior paulista, também é conhecida como a terra dos quadrinhos. O documentário “Quadro a Quadro” apresenta a comunidade de quadrinistas da cidade, uma referência na área, e mostra a paixão desses artistas pela arte. No vídeo, depoimentos revelam que apesar de inúmeras dificuldades, há quem faça desta ocupação uma profissão.

RAÍZES
Há muito tempo a sociedade é regida por ideais em que a cultura negra é inferiorizada e rejeitada. Se na época da escravidão, os negros tinham seus cabelos raspados como forma de punição, hoje, muitos ainda sofrem humilhações por deixar suas raízes florescerem através do cabelo. O documentário “Raízes” retrata histórias de negros que trazem em seus cabelos a força e a resistência para vencer a opressão e o preconceito revelando a beleza da cultura afro.

VIVENDO POSITIVO
O documentário “Vivendo Positivo” mostra história de três pessoas, que contam como foi a descoberta do vírus HIV, o impacto em suas vidas, as dificuldades que enfrentaram e como vivem hoje. A ideia central é desmistificar o conceito de que o HIV é um vírus restrito a determinados grupos sociais. Na realidade qualquer pessoa está sujeita a se infectar.

Carregar mais Acontece no Interior

Deixe uma resposta

Veja também

Feira de Vinil reúne apaixonados por discos no Shopping Iguatemi Ribeirão Preto

7ª edição da Feira acontece neste sábado com mais de 12 mil produtos focados neste mercado…