Chef nipo-brasileira Saiko Izawa recebe prêmio Best Pastry Chef 2017

SAIKO IZAWA, D’A CASA DO PORCO, EM SÃO PAULO, RECEBE O BEST PASTRY CHEF AWARD 2017, DO LATIN AMERICA’S 50 BEST RESTAURANTS

  • O Latin America’s Best Pastry Chef Award 2017, patrocinado pelo República del Cacao, homenageia uma chef que contribuiu significativamente para o mundo da confeitaria.
  • Izawa é pioneira em sobremesas, quebrando barreiras no centro de São Paulo com sua inovadora fusão entre elementos brasileiros e japoneses. 

Saiko Izawa, d’A Casa do Porco, em São Paulo, recebeu o prêmio Latin America’s Best Pastry Chef Award 2017, patrocinado pelo República del Cacao. O prêmio foi concedido durante a quinta edição anual do Latin America’s 50 Best Restaurants que aconteceu na terça-feira, dia 24 de outubro em Bogotá, na Colômbia.

Com suas criações inventivas, Izawa busca fundir culturas, sejam elas japonesas, brasileiras ou de outras origens. Seu estilo inclui a aplicação de ingredientes tradicionalmente usados em pratos salgados, como manjericão, em suas sobremesas, dando um acabamento redondo à refeição.

Nascida em Tóquio, Izawa mudou-se com sua família para o Brasil ainda adolescente e depois aplicou sua experiência de ambas as culturas à sua culinária. Desde 2015, ela é chef confeiteira do restaurante paulistano A Casa do Porco, que chegou ao 8º lugar na lista do Latin America’s 50 Best Restaurants trabalhando junto ao chef-proprietário da casa, Jefferson Rueda. A rica parceria levou Izawa a ganhar uma reputação como um talento líder não só em seu país, mas na América Latina como um todo.

“Um dos principais objetivos do República del Cacao é elevar o nível gastronômico do mundo, e é por isso que produzimos chocolate latino-americano de alta qualidade. Este ano, estamos orgulhosos de sermos o parceiro oficial de chocolate do Latin America’s 50 Best Restaurants e de apresentarmos o Latin America’s Best Pastry Chef Award 2017”, declarou Arnaud Monmarché, diretor executivo do República del Cacao.

Ainda que seu amor por comida e culinária tenha começado no Japão, foi no Brasil que Izawa iniciou seu relacionamento com a confeitaria. Após o treinamento clássico no Le Cordon Bleu, em Paris, e um estágio na Comus, em Tóquio, ela trabalhou no Le Meurice, em Paris, no D.O.M. em São Paulo, no El Celler de Can Roca, em Girona e no Attimo, em São Paulo, onde colaborou pela primeira vez com Rueda.

Rompendo os limites entre a gastronomia de vanguarda e o farm-to-table, Rueda e Izawa combinaram suas paixões por culinária artesanal, agricultura e elegância despretensiosa nos pratos. Isso se traduz em um doce menu de sobremesas variadas, que utiliza o leite de vaca de diversas maneiras para acompanhar o saboroso menu degustação “Butcher’s”, de Rueda

Carregar mais Gastronomia

Deixe uma resposta

Veja também

21 talentos da gastronomia prontos para lutar pelo título de “S.Pellegrino Young Chef 2018”

O talentoso grupo de chefs com menos de 30 anos, originários de 21 diferentes regiões de t…