Startup brasileira de intercâmbio busca investidores na França

Selecionada para missão da Apex, Sellead foi acelerada no SEVNA Startups, de Ribeirão Preto (SP), já recebeu aportes de R$ 300 mil e planeja se tornar uma fintech para faturar R$ 1,5 milhão em 2018

A startup brasileira Selllead foi uma das cinco empresas selecionadas pela Apex para compor a Missão Brasil-França que segue no início de dezembro para Paris. Sua meta na viagem é levantar R$ 1 milhão para colocar em prática o plano de se tornar uma fintech já em 2018. Com clientes em 23 países, a startup desenvolveu um software que conecta agências de intercâmbio e escolas de línguas, simplificando o processo de seleção e contratação de cursos no exterior.

A ideia já está em andamento por meio de parcerias com a empresa de pagamentos eletrônicos Bin e a corretora Remessa Online. Desta forma, além de oferecer seu software de booking e CRM para agências de intercâmbio a Selllead vai passar a ser um meio de pagamento para as transações realizadas na plataforma.

“Precisamos de mais fôlego para conseguir validar essa ideia. Já levantamos R$ 300 mil junto a investidores no Angel Day do Sevna Startups e hoje buscamos captar R$ 1 milhão para dar início à criação de um fundo próprio”, explica Ricardo Lemos, CEO da Sellead.

A empresa tem um valuation de R$ 7 milhões, baseado na metodologia de fluxo da caixa descontado, e que já considera as receitas futuras que devem surgir com o modelo de fintech. Atualmente, 80% do faturamento da empresa vem do exterior, fruto de comissão paga por escolas e agências de intercâmbio que utilizam o sistema Sellead. A previsão para 2018 é faturar R$ 1,5 milhão, já atuando também com meio de pagamento.

“Este é um mercado global que movimenta US$ 100 bilhões todos os anos apenas com pagamento de cursos de intercâmbio. Porém, já somos muito demandados para intermediar também serviços de homestay, seguro saúde, assessoria para imigração, por exemplo”, explica.

O mercado de intercâmbio tem se mostrado promissor com crescimento de 600% nos últimos 10 anos. Mesmo no Brasil em crise a procura por cursos no exterior tem crescido. “As pessoas precisam de qualificar para buscar uma recolocação e muitas vezes investem em um intercâmbio para aprender a falar inglês rápido, se especializar e turbinar o currículo com as experiências que somente a imersão em outra cultura pode oferecer”, avalia Lemos.

Missão Apex Brasil-França
A missão direcionada para startups brasileiras inclui um ciclo de preparação para internacionalização, com consultoria especializada em expansão internacional, serviço de matchmaking para identificar e agendar reuniões estratégicas na França, treinamento de pitch e sessões individuais com especialistas no mercado francês.

Em território francês os empreendedores contarão com seminários de oportunidades, sessões de pitch training, rodadas com prestadores de serviços, visitas a ambientes de inovação e empresas com estratégias de inovação aberta, e um demoday para investidores e executivos franceses.

Carregar mais Empreendedorismo e Negócios

Deixe uma resposta

Veja também

Endividamento das famílias é o menor desde janeiro de 2015

Boletim Ceper/Fundace mostra que inadimplência deve continuar caindo lentamente ao longo d…