Sarau Bixaria Literária acontece dia 1º de junho, sexta, 19h, na Casa das Rosas

262

Gratuito e aberto ao público, evento propõe performances que dialoguem com a causa LGBT e tem participações especiais das artistas Luana Hansen, Caio Jade e Lua Lucas

Idealizado pelo Coletivo Bixa Pare, a primeira edição do Sarau Bixaria Literária acontece dia 1º de junho, sexta-feira, às 19h, no jardim da Casa das Rosas (Avenida Paulista, nº 37). Composta por microperformances de até cinco minutos preparadas pelo coletivo, o sarau também abre espaço para manifestações artísticas com temática voltada a questões LGBT. O evento terá participação da Mc e DJ Luana Hansen, da atriz Lua Lucas e do multiartista Caio Jade, que trabalha com performance, escrita, vídeo e fanzine.

O sarau LGBTQIA+ de Micro-performances foi idealizado para ampliar o diálogo dos integrantes do Coletivo Bixa Pare com artistas e o público geral. Criado em 2017, o grupo formado pelos artistas Fabio Lopes, Luan Afonso e Diego Castro tem como objetivo provocar reflexões sobre um corpo socialmente lido como um ‘corpo bixa’. Nas suas performances – que misturam linguagem cênica com artes visuais – os artistas potencializam ideais de resistência e afirmação.

“Fazer uma leitura política do corpo ajuda a ver quantas camadas têm essa discussão. Ao mesmo tempo em que o Brasil é o país que mais mata pessoas LGBT no mundo, a cultura daqui é vista como alegre e efervescente. Nós procuramos trazer essa potência para outro lugar de discussão”, diz Luan, um dos idealizadores do grupo. “Neste sarau, a ideia é que o impulso de troca com outras pessoas fortaleça um movimento que pertence a toda a comunidade”, finaliza.

Na Casa das Rosas, que será ocupada por uma ação artística do grupo pela primeira vez, a expectativa é inaugurar diálogos também com as pessoas que estejam passando pelo espaço e ainda não conheçam as propostas do coletivo. “É uma responsabilidade imensa, porque o movimento da diversidade está alcançando mais espaços, mas ainda há muito que se trabalhar. Quando o patriarcado se depara com ações afirmativas, a violência e o desespero vêm à tona com o desejo de nos silenciar”, diz Diego.

Para o coletivo, os últimos anos têm sido essenciais para difusão das ideias e propostas da comunidade LGBT em prol de uma sociedade mais justa e igualitária. “Nosso trabalho é dar continuidade à ações de milhares de pessoas que lutaram para chegarmos ao lugar de discussão que estamos hoje. A tecnologia também é um disparador que nos ajuda a alcançar mais pessoas por diversas formas”, finaliza Luan.

 

Sobre o coletivo Bixa Pare

O Coletivo Bixa Pare é formado pelas bixas artistas Diego Castro, Fabio Lopes e Luan Afonso. Fundado no inicio de 2017, o coletivo traz como disparador de suas ações a relação do corpo bixa como pesquisa cênica. Ao longo desta trajetória, o coletivo sentiu a necessidade de dar a ver o ser Bixa e realizamos a mudança da grafia em um ato manifesto. Realizou mostra de processo do seu primeiro espetáculo Cênico com titulo provisório de Besha Pare ou SerTão de mim na XIV Semana de Artes do Corpo da PUC, Oficina Cultural Alfredo Volpi e Satyrianas 2017. Em dezembro estreou a performance BESHA FREAK SHOW no Fuzuê, um evento mensal organizado por artistas e coletivos da Zona Leste de São Paulo. O Coletivo Bixa Pare faz residência artística na Oficina Cultural Alfredo Volpi e realizará a oficina As Relações do Corpo Besha Como Disparador Para Um Manifesto Cênico entre janeiro e março de 2018. Sua última performance, 2017 445 #1, aconteceu em janeiro de 2018.

 

Serviço

Sarau Bixaria Literária

Dia 1º de junho, sexta-feira, 19h, na Casa das Rosas

Endereço: Avenida Paulista, nº 37 – Paraíso, São Paulo (SP)

Entrada gratuita

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here