Inéditos no Brasil, filmes franceses de realidade virtual ganha mostra no Festival Varilux em SP e no Rio

UM DOS CURADORES DA MOSTRA, O FRANCÊS MICHEL REILHAC, PARTICIPA DE PALESTRA NO RIO DE JANEIRO NA SEXTA. MOSTRA TEM ENTRADA FRANCA NAS DUAS CIDADES

O Festival Varilux de Cinema Francês 2017 realiza em São Paulo e no Rio de Janeiro uma mostra de filmes franceses com tecnologia de realidade virtual. É a primeira vez que um festival no Brasil dedica uma seleção específica a esse gênero, que também integrou o Festival de Cannes em 2017 com um filme de Alejandro Gonzalez Iñarritu, “Carne e Areia”.

A mostra conta com oito obras em 360º desenvolvidas por líderes em inovação audiovisual na França e que serão apresentadas gratuitamente ao público paulista e carioca. As exibições, realizadas em cadeiras giratórias e com óculos de realidade virtual, acontecem em São Paulo até o dia 18 de junho no Cine Arte e, no Rio de Janeiro, entre 10 e 18 de junho no Cine Odeon. Antes disso, no dia 9 (amanhã), os curadores Michel Reilhac e Alexandre Calil dão uma palestra aberta ao público no Espaço Cultural A Maison, no Centro, com o tema:  “A situação atual e as perspectivas da Realidade Virtual no mundo e no Brasil”. Também estarão disponíveis os filmes em realidade virtual. É necessário pegar senha para a palestra.

Profissional consagrado na Europa, Michel Reilhac, curador de quatro filmes ‘Best-of da produção independente de realidade virtual francesa’, foi diretor do cinema no canal ARTE e é o atual diretor do Submarine Channel em Amsterdam. Reilhac se define como “arquiteto de histórias interativas” e faz muitas intervenções como curador, conselheiro ou palestrante em festivais prestigiosos como Veneza, Sundance, Cannes, Tribeca, etc.

Reilhac acredita que aos poucos a tecnologia da realidade virtual se tornará uma nova tendência. “A minha esperança é que aprendamos rapidamente como a realidade virtual pode ser uma forma fantástica de compartilhar experiências que não seriam possíveis no mundo real, mas não como uma substituição de todas as coisas que não podemos fazer fisicamente”, afirma Reilhac.

A coordenação da mostra será feita pelo Alexandre Calil Sicchieri, especialista brasileiro de realidade virtual, reconhecido internacionalmente, CEO da VRXP- Virtual Reality Experience, coordenador do BIG Festival e administrador principal da maior comunidade de realidade virtual no Facebook (Virtual Reality).

Os filmes exploram o potencial da realidade virtual em diversos gêneros como ação, ficção, animação e documentário. Entre eles estão obras integrantes de festivais internacionais como Tribeca, Kaleidoscope, Sundance, entre outros. Três dessas produções estiveram em Sundance: “Notes on Blindess”, “Out of the blue” e “Viens!”. Esse último é dirigido por Reilhac.

 

PROGRAMAÇÃO

Toda a programação, em ambas cidades, é gratuita.

SÃO PAULO

Cine Arte – De 8 a 18 de junho

Programação fixa de filmes de realidade virtual no Cine Arte– Av. Paulista, 2073 – Cerqueira César

RIO DE JANEIRO

Sexta-feira, 9 de junho

Espaço Cultural A Maison (Consulado Geral da França no Rio de Janeiro)Avenida Antonio Carlos, 58 – Centro

17h30m às 19h

Palestra de Michel Reilhac e Alexandre Calil: “A situação atual e as perspectivas da Realidade Virtual no mundo e no Brasil”.

De 11h às 18h

Exibição de filmes franceses de realidade virtual.  

De 10 de junho a 18 de junho

Cine Odeon (foyer do 2º andar)- Praça Floriano, 7 – Centro

Programação fixa de filmes de realidade virtual.

 De 10h às 18h

Exibição de filmes franceses de realidade virtual.  

OS FILMES

‘Best of’ dos filmes independentes franceses

Curadoria: Michel Reilhac

I, Philip

De Pierre Zandrowicz

Com Hélène Kuhn, Doug Rand, Nathan Rippy, Dounia Sichov

Escrito por Pierre Zandrowicz e Rémi Giordano

Produção: ARTE France, Fatcat Films, Saint-George.

Animação live action – 2016– 14min

Sinopse

Em 2005, David Hanson, um jovem engenheiro de robótica revela seu primeiro androide com forma humana, “Phil”, que é a cópia perfeita do famoso autor de ficção científica Philip K. Dick. Em poucas semanas, Phil se torna famoso na internet e no círculo de fãs do autor. O robô acaba apresentando diversas de conferências ao redor do mundo. No fim deste mesmo ano, a cabeça do androide desaparece durante um voo da America West Arilines entre Dallas e Las Vegas. Por meio das memórias do androide e do autor, o filme oferece uma interpretação da vida de Phil.

NOTES ON BLINDNESS

De Peter Middleton e James Spinney

Voz em francês: Lambert Wilson

Produção : Archer’s Mark

2016 – 6 capítulos de 3-4min

Sinopse

Em 1983, após anos de uma doença progressiva e dias antes de seu filho nascer, o escritor e teólogo John Hull ficou completamente cego. Consciente de que iria destruir sua vida se não entendesse a cegueira, Hull começou a fazer um diário gravado com fitas-cassete, em que descrevia a dolorosa, mas também libertadora jornada até as profundidas de sua alma; demostrando que as deficiências físicas e obstáculos da vida podem trazer experiências enriquecedoras se forem enfrentadas.

VIENS!

De Michel Reilhac

Tecnologia criativa: Carl Guyenette

2016– 12min

Sinopse

Três mulheres e quatro homens nus, surgidos de lugar nenhum num fundo branco, no espaço ensolarado de um cômodo iluminado fora do tempo. Eles se encontram, se tocam, compartilham a energia e se transformam espiritualmente. Eles fusionam com o mundo.

 

S.E.N.S

De Charles Ayats, Armand Lemarchand e Marc-Antoine Mathieu

Tecnologia criativa: UBMTH

Produção: Red Corner & ARTE France

2016– Jogo de aventuras – 30min

Sinopse

Sens é uma experiência interativa de realidade virtual na qual o espectador se dirige através de um cenário linear em preto e branco. É preciso selecionar direções, objetos e placas de direção para evoluir nesse jogo. As linhas puras e o fato de ser bicolor tornam essa experiência bem mística e relaxante, mas com toques angustiantes quando o personagem cai. Bonito, solene e elegante, Sens é uma experiência interessante a ter em realidade virtual.

Seleção do Festival

SERGEANT JAMES

De Alexandre Perez

Com Elliot Daurat, Eléonore Joncquez

Produzido por Floréal Films

Ficção – 2017 – 7min

Sinopse

É a hora de dormir de Léo, um menino de sete anos. Quando sua mãe apaga as luzes, o pequeno menino pensa que pode existir algo embaixo da sua cama. É apenas a imaginação inofensiva de um menino, ou algo mais assustador?

Trailer https://www.youtube.com/watch?v=igEfVMU3-ZQ

KINOSCOPE

De Philippe A. Colin, Clement Leotard

Produzido por Ex Nihilo, Novelab, La Cinémathèque Française, Google Artes & Culture

Narração de Dean Tavoularis

Animação – 2016 – 9 min

Sinopse

De Méliès e Chaplin a Kubrick e Tarantino, Kinoscope é uma viagem pelas principais cenas que o cinema já capturou. A história é narrada pela famosa e lendária voz de Hollywood, o diretor de arte, Dean Tavoularis, que trabalhou em vários sucessos de bilheteria, como a série de filmes de “O Poderoso Chefão”, “Apocalipse Now”, “Um Golpe Muito Louco”, “O Fundo do Coração” e “Bonny e Clyde – Uma Rajada de Balas”.

ON SET – SLACK BAY

De Fouzi Louahem

Produzido por Arte GEIE, Les Editions Du Bout Des Doigts, CNC

Documentário imersivo

2015 – 27 min

Sinopse

On set – Slack Bay é um documentário de realidade virtual que explora o mundo do set de filmagens Slack Bay. Trata-se do primeiro média-metragem francês a oferecer experiência em 360º. O espectador pode seguir as trocas entre o diretor Bruno Dumont, os atores e a equipe, além de ter a experiência rara e inédita de ver o que acontece entre as câmeras e os atores. Ao longo do documentário, Bruno Dumont compartilha sua visão do set de filmagens, sua compreensão da realidade virtual, assim como as portas que isso abre, principalmente no meio cinematográfico, e suas limitações.

OUT OF THE BLUE

De Sophie Ansel

Produzido por Pelagic Life, Oculus e Reelfx

Com Judith Castro Lucero, Yerick Vallesillo Castro

Documentário imersivo

2017 – 10 min

Sinopse

Out of the Blue conta a história inspiradora do legado de uma criança em Cabo Pulmo, uma pequena cidade do México. A área que uma vez foi descrita por Jacques Cousteau como “o aquário do mundo”, passou por anos de pesca intensa, matando assim seus recifes e deixando seus habitantes à beira da extinção. Para reconstruir esses recifes, as famílias dos pescadores escolhem tomar uma decisão drástica e revolucionária: sacrificar sua única fonte de alimento e renda, proibindo a pesca naquelas águas para que a vida marinha se restaure e volte a viver naquela região. A área renasce, e o Parque Marinho de Cabo Pulmo torna-se destino turístico mundial.

Trailer https://vimeo.com/213877611

O CURADOR do ‘Best of’ dos filmes independentes franceses

Michel Reilhac é produtor e diretor de narrativas interativas e realidade virtual. Durante muitos anos, foi diretor de cinema do canal ARTE France. Atualmente lidera o Submarine Channel Amesterdam. É também Chefe de Estudos para faculdades, Cinema e VR da Bienal de Veneza. Ele também é coprogramador da nova competição VR do Festival Internacional de Cinema de Veneza. Em conexão com seu trabalho pessoal de investigação sobre os novos desafios do storytelling digital e experiencial, realiza palestras e workshops sobre VR e narrativa interativa em diversos países.

O FESTIVAL

O Festival Varilux de Cinema Francês segue em pleno crescimento e registra um recorde do evento no Brasil. A edição de 2017, entre os dias 7 e 21 de junho, chega a mais de 55 cidades, distribuídas em 21 estados e Distrito Federal. A programação deste ano é composta por 19 produções inéditas nos cinemas brasileiros, incluindo um documentário e um clássico. Os maiores astros do cinema francês estarão presentes na seleção: o público poderá conferir os mais recentes trabalhos de Catherine Deneuve, Gérard Depardieu, Juliette Binoche, Marion Cotillard, Guillaume Canet, Omar Sy e Cécile de France. Outro destaque é à última atuação da inesquecível Emmanuelle Riva, falecida em janeiro último, em “Perdidos em Paris”. 

São Paulo e Rio de Janeiro recebem a delegação formada por diretores e atores das várias  produções e que participam de debates com o público. O Festival oferece ao público novas atividades paralelas este ano, com a organização de mesas-redondas e sessões democráticas em varias cidades, em parceria com as Alianças Francesas do Brasil e ColaborAmerica.

Sucesso de público em 2016, quando levou 156 mil pessoas aos cinemas, o festival repete o formato do ano passado com duas semanas de exibição. Produzido pela Bonfilm, o evento tem patrocínio principal da Varilux/Essilor, Ministério da Cultura através da Lei Federal de Incentivo à Cultura e Secretaria de Estado de Cultura, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro.

Carregar mais Cinema

Deixe uma resposta

Veja também

Lollapalooza Brasil anuncia o primeiro Side Show de 2018

O Rio de Janeiro receberá Imagine Dragons, dia 22 de março, no Km de Vantagens Hall RJ Plu…