Mercado de Trabalho demonstra recuperação gradual

Incertezas marcam o cenário econômico no primeiro semestre de 2017

Mesmo com um período de incertezas decorrentes da crise política que abala o País, os dados do Boletim Mercado de Trabalho Ceper/Fundace do mês de junho, demonstram uma recuperação do mercado. O Boletim é feito a partir dos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

Os dados são de abril de 2017 e indicam contratações em todas as regiões analisadas, com exceção do município de Sertãozinho. A Região Administrativa de Ribeirão Preto (RARP) registrou a criação de 2.375 postos de trabalho em abril deste ano. O montante de vagas criadas foi levemente superior ao mês abril de 2016, quando foram registradas 2.338 contratações.

Somente o mês de março apresentou saldo de desligamentos em 2017, de modo que o acumulado no ano foi de 7.987 contratações líquidas. Entre os setores, a Construção Civil apresentou o pior desempenho no mês de Abril, com o mais elevado número de demissões. O segmento de Montagem de Instalações Industriais e de Estruturas Metálicas contribuiu com o fechamento de 392 vagas no setor. A Indústria, por sua vez, foi o setor que mais contratou, sendo a Fabricação de Açúcar em Bruto responsável pela criação de 2.140 vagas no período.

O município de Ribeirão Preto registrou 222 contratações líquidas no mês de Abril de 2017, reversão positiva do cenário de demissões exibido em Abril do ano passado. Embora somente o mês de março tenha contabilizado saldo de demissões líquidas, o resultado acumulado no ano de 2017 indica destruição de 19 vagas.

Entre os setores, Indústria e Comércio apresentaram demissões líquidas no mês de abril deste ano. A Construção Civil, por sua vez, foi o setor que mais contratou no período (192 vagas líquidas), apresentando desempenho no nível municipal superior do que aquele registrado em nível nacional, estadual e regional.

Sertãozinho – Sertãozinho fechou 151 vagas no mês de abril de 2017, montante superior às 114 demissões registradas em Abril de 2016. Apesar do saldo de destruição de vagas nos meses de março e abril, o município ainda apresenta saldo acumulado no ano de 2017 de criação de 777 vagas líquidas.

Na análise entre os setores, registram-se desligamentos líquidos na Construção Civil e na Indústria em abril. O segmento que mais demitiu na Construção Civil foi Montagem de Instalações Industriais e de Estruturas Metálicas, com 290 demissões. A Indústria teve como segmento mais expressivo a Instalação de Máquinas e Equipamentos Industriais, responsável por 127 desligamentos.

Franca – O município de Franca encerrou o quarto mês consecutivo com criação líquida de vagas em abril, quando foram criadas 794 vagas, montante superior às 671 contratações registradas em abril de 2016.

O saldo acumulado em 2017 alcançou o total de 5.483 contratações. Entre os setores, tem-se fechamento líquido de vagas somente na Agropecuária, sendo o Cultivo de Café responsável por 24 demissões líquidas no período. A Indústria, por sua vez, foi o segmento que mais contratou, sendo a Fabricação de Calçados de Couro o segmento mais expressivo, que colaborou com a criação de 364 vagas para o setor.

Campinas – Campinas registrou a criação de 704 postos de trabalho no mês de abril de 2017, o que representa uma reversão positiva do saldo de demissões exibido em abril de 2016, quando foram fechadas 1.986 vagas líquidas.

Em 2017, fevereiro e abril registraram criação de vagas, de modo que o saldo acumulado no ano mantém-se positivo com 248 vagas. Em abril, nota-se fechamento de vagas somente no setor de Serviços. O Comércio, por sua vez, foi o setor que mais contratou no período, seguido pela Construção Civil e Indústria.

O saldo acumulado entre maio de 2016 e abril de 2017 indicou destruição de 8.891 vagas, montante que apesar de negativo é inferior aos 21.307 desligamentos registrados entre maio de 2015 e abril de 2016.

São José do Rio Preto – São José do Rio Preto registrou 221 admissões líquidas em abril de 2017, reversão positiva do saldo de demissões exibido em abril de 2016. Abril foi o terceiro mês consecutivo com criação de vagas no município, contribuindo para o saldo de 779 contratações líquidas no ano de 2017. O saldo acumulado entre maio de 2016 e abril de 2017 destruiu 2.370 vagas líquidas, montante inferior às 5.363 vagas destruídas entre Maio de 2015 e Abril de 2016.

Análise Geral – Os dados apresentados nesta edição do boletim Mercado de Trabalho do Ceper/Fundace confirmam a percepção de recuperação do mercado de trabalho, já discutida nas edições mais recentes do estudo.

Conforme apresentado nesta edição, o Brasil, o estado de São Paulo e todos os municípios analisados, com exceção de Sertãozinho, apresentaram saldos positivos referentes a criação de empregos no mês de abril. Destaque para o município de Franca que, apesar de ter apresentado 794 contratações líquidas em abril, no acumulado dos últimos doze meses (ou seja, entre maio de 2016 e abril de 2017) segue com um saldo negativo de contratações. Por outro lado, Sertãozinho, que foi o único dos municípios analisados que apresentou demissões líquidas em abril, segue sendo o único com contratações líquidas no acumulado em doze meses.

Quanto ao número de pessoas desocupadas, entre fevereiro e abril de 2017 foi estimado um contingente de 14 milhões de pessoas, uma leve queda em relação ao valor apresentado no trimestre móvel entre janeiro e março de 2017, quando essa cifra atingiu 14,2 milhões de pessoas,  um recorde para a série iniciada no 1º trimestre de 2012.

Quando comparado com o mesmo trimestre do ano anterior (fevereiro a abril de 2016), quando o número de desocupados foi estimado em 11,4 milhões de pessoas, houve um incremento de 2,6 milhões de desocupados na força de trabalho, o que representa um crescimento de 23,1%.

Por sua vez, o rendimento real habitual médio recebido pelas pessoas ocupadas entre fevereiro e abril de 2017 segue a estabilidade discutida em boletins anteriores, alcançando a cifra de R$ 2.107, frente aos R$ 2.095 do trimestre anterior e aos R$ 2.052 do mesmo trimestre de 2016. Na comparação com o trimestre anterior, apenas o agrupamento dos Serviços domésticos apresentou crescimento (1,9%), enquanto que no comparativo com o mesmo trimestre de 2016 o melhor desempenho ficou por conta do agrupamento Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (6,3%).

O Boletim completo com todas as informações pode ser acessado pelo link

https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201706_00293.pdf

Carregar mais Empreendedorismo e Negócios

Deixe uma resposta

Veja também

Samsung DeX: a ferramenta ideal para otimizar seu dia a dia

Novo acessório da Samsung proporciona uma experiência inigualável ao aumentar a produtivid…