Festival Varilux 2017 agora é o maior festival de cinema francês no mundo

EVENTO REGISTRA NOVO RECORDE DE PÚBLICO COM MAIS DE 180 MIL ESPECTADORES. O FILME “PERDIDOS EM PARIS” E O CINEMA MOVIEMAX ROSA E SILVA EM RECIFE CHEGAM EM PRIMEIRO LUGAR EM TERMOS DE PÚBLICO

Com um novo recorde de público em 2017, o Festival Varilux tornou-se o maior festival de cinema francês no mundo, com um público de mais de 180 mil pessoas que prestigiaram 19 produções durante duas semanas de exibição, realizada em junho deste ano. O evento ultrapassou o festival de cinema francês da Austrália (Alliance Française French Film Festival), que neste ano recebeu 175 mil espectadores. O crescimento registrado foi de 15% em relação à edição do ano anterior.

Desta vez, o destaque ficou por conta do aumento de espectadores em diversas cidades fora do eixo tradicional de cinema, como Palmas (TO), Natal (RN), Goiânia (GO) e Ponta Grossa (PR). A marca de maior público foi conquistada pelo cinema Moviemax Rosa e Silva de Recife, por onde passaram mais de 7 mil pessoas, seguido pelo Cine Arte UFF em Niterói e o Espaço Itaú de Cinema Botafogo no Rio de Janeiro.

O filme mais visto pelo público foi “Perdidos em Paris”, dirigido e estrelado por Fiona Gordon e Dominique Abel, que levou 16.541 pessoas aos cinemas. Logo em seguida, o filme estreou em todo o Brasil e está sendo uma bela surpresa de bilheteria. Em segundo lugar, ficou o longa-metragem “Uma Família de Dois”, com o ator Omar Sy, que conquistou 16.050 espectadores e, em seguida, a comédia “Tal Mãe, Tal Filha”, de Noémie Saglio, com um pouco mais de 13 mil.

Produzido pela Bonfilm, o evento levou 19 filmes franceses inéditos, incluindo um documentário e um clássico, para 56 cidades brasileiras. Neste ano, o festival trouxe um diferencial: a mostra de realidade virtual com exibições de novas produções. A tradição de promover atividades paralelas, como mesas redondas, masterclass, laboratório de roteiros, sessões educativas e democráticas se manteve e se somou à delegação de nove artistas nas aberturas do Rio e de São Paulo, como Dominique Abel, Fiona Gordon, Noémie Saglio, Camille Cottin, e Damien Bonnard.

“Todo ano, o público brasileiro nos dá uma boa surpresa: permitiu que o festival cresça sem parar há 8 anos e agora nos dá o orgulho de ser o maior festival de cinema francês no mundo”, disse Christian Boudier, diretor e curador do Festival.

 

Sobre o Festival Varilux de Cinema Francês 2017

 

O melhor da cinematografia francesa ganhou as telonas dos cinemas em 56 cidades brasileiras durante o mês de junho no Brasil em 2017. Ao todo, a programação contou com 19 filmes inéditos, incluindo um documentário e um clássico, entre eles, “Perdidos em Paris”, de Dominique Abel e Fiona Gordon, “Tal Mãe, Tal Filha”, de Noémie Saglio, e “Um Filho Uruguaio”, de Olivier Peyon.

O festival ainda manteve a tradição e proporcionou atividades paralelas, desta vez, com novidade: pela primeira vez, trouxe uma mostra de realidade virtual com filmes franceses inéditos. Além de realizar durante 5 dias no Rio de Janeiro, o laboratório franco-brasileira de roteiros audiovisuais no Rio de Janeiro. Para o incentivo à formação de novos públicos, o evento investiu em 56 sessões educativas e 58 sessões gratuitas. E, como de costume, realizou 32 eventos de pré-estreia em todo país e contou com sessões de democratização em espaços alternativos. Em especial, o evento promoveu mesas redondas com o documentário “Amanhã”, codirigido por Cyril Dion e pela atriz Mélanie Laurent, que foi premiado com o César de melhor documentário em 2016.

Com produção da Bonfilm, o evento tem patrocínio principal da Essilor-Varilux, Secretaria de Estado de Cultura através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, Ministério da Cultura através da Lei Federal de Incentivo à Cultura e Renault.

Carregar mais Cinema

Deixe uma resposta

Veja também

5 opções de pratos especiais para o dia da semana em São Paulo

MiCi Restaurante Moqueca de Pirarucu  (R$98), servida exclusivamente aos sábados. Acompanh…